quinta-feira, 26 de maio de 2011

>>> protesto >>>

Dia HISTÓRICO em São João

Esterilização em massa. Espaço para que animais recolhidos sejam tratados e doados, ao invés de canis que se transformam em caros depósitos de bichos. Audiência pública para tratar de proteção animal e meio ambiente. Parcerias com a Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ) e Sociedade Protetora dos Animais. Parece incrível, mas é verdade: os representantes eleitos pelo voto popular assumiram esses compromissos na tarde de 24 de maio de 2011. Quem ouviu a reunião da Câmara no dia 10, quando a vereadora Sílvia Fernanda, em ato infeliz, sugeriu matar animais soltos na rua, deve estar surpreso.

A "Caminhada pelos animais: vida sim, matança não", organizada pela Sociedade Protetora, partiu da Igreja de São Francisco de Assis. O santo protegeu muito bem os animais, e conseguiu reunir mais de 100 pessoas, que levavam faixas e muita disposição, ao lado de dezenas de jornalistas e fotógrafos. Já na Câmara, numa demonstração clara do tamanho do problema animal na cidade, pelo menos dois cães de rua subiram as escadas e participaram da reunião. Um deles seguiu a presidente da Sociedade, Mara Souto, até a tribuna, sentando-se, depois, próximo a Sílvia Fernanda.


Apesar de alguns ânimos exaltados, não houve confusão, e tanto os representantes das associações protetoras quanto os vereadores conseguiram falar para um auditório que comportava gente até nas janelas. Mara Souto arrancou aplausos ao citar as experiências que já presenciou e os compromissos que esperava dos vereadores, prontamente apoiados pelo presidente da Câmara, Mauro Duarte.


A vereadora que causou polêmica defendeu-se explicando que nunca incluiu cães e gatos em sua proposta, conforme Contrato Natural já havia publicado em matéria anterior. Desculpou-se pelas declarações, reconheceu a bondade de pessoas que abdicam de parte de suas vidas pelos animais, e atacou parte a imprensa e os inimigos políticos, que estariam promovendo uma "caçada às bruxas".


Seja pela necessidade de recuperar a imagem de vergonha que São João carregou com o episódio, seja por não haver mais espaço para medidas arcaicas após a mobilização popular, conquistas históricas foram assinadas ou estão em pauta. Da Prefeitura, a promessa de um espaço para controle de zoonoses supervisionado por profissional da UFSJ de confiança dos protetores. Da Câmara, promessa de apoio à esterilização em massa, que já passou a contar com uma parceria entre Prefeitura e Universidade através do projeto Amigos de Quatro Patas; e o pedido da audiência para tratar do assunto.


Após 20 anos de luta, finalmente os protetores conseguirão avanços históricos? Tudo indica que sim. Bom para os animais, o meio ambiente, a limpeza urbana e a saúde pública. O capítulo do dia 24 foi surpreendente - positivamente. A menos que surpresas negativas aconteçam nos próximos capítulos, todos sairão ganhando com o abandono de práticas ineficazes e antiéticas como a matança de animais.


Texto: Rogério Alvarenga

Imagem: Analu Sousa

2 comentários:

  1. GRAÇAS A DEUS E A ATIVISTAS DE PESO E MUITA GARRA.

    ResponderExcluir
  2. Que maravilha!!!!!!!!! =D Parabéns ao povo!!!

    ResponderExcluir